Quem Preciso Contratar? Qual o Perfil do Profissional Que Preciso: Os Profissionais do Futuro (e as Empresas do Futuro)



Lead: Nos EUA mais da metade dos profissionais trabalha há menos de cinco anos na mesma empresa. Somente 25% dos profissionais permanecem na mesma empresa por mais de um ano. Segundo a ONU os estudantes de hoje passarão por 10 a 14 empregos até os 38 anos de idade. (Isso não é muito diferente no Brasil, porque após 4 ou 5 anos os profissionais de ponta afirmam: “deixei a empresa onde trabalhava porque ela não tinha muito mais a ensinar-me”). (Pura verdade!). As dez profissões que serão indispensáveis em 2010 sequer existiam em 2004. Ou seja, estamos preparando profissionais que ainda não existem, que usarão tecnologias que ainda não foram inventadas, para resolver problemas que ainda não sabemos que existem.


Sumário Executivo

            Esse é o primeiro capítulo que nos desperta para um diálogo com o futuro. Ele levanta as características e principalmente as perguntas sobre o futuro. Desde logo vale uma advertência: sabemos formular algumas perguntas a partir de entrevistas com empresários do Agronegócio, mas longe estamos de poder respondê-las. Todo o capítulo foi estruturado sobre uma forma de teste, de conjunto de perguntas. Cabe a todos nós tentar respondê-las – sabendo que as respostas estão longe, longe mesmo de serem triviais. A discussão dessas questões estão na fronteira das dúvidas dos dirigentes do setor.
            O princípio fundamental é: se não formos capazes de definir nosso futuro e o futuro de nossa empresa, alguém vai defini-los por nós; e, eventualmente, nós podemos não gostar.
            “Dialogar” com as condições do mercado atual é essencial para se conhecer as estratégias que terão sucesso no futuro. Mas isso é condição necessária, não suficiente.   É preciso dialogar com o futuro.
            Os meus textos técnicos, após seis meses, estão defasados. O que importa são as pesquisas com empresários do agronegócio quando a eles perguntamos como a empresa deles sobreviverá à concorrência por qualidade de gestão empresarial no futuro e quais os quadros que eles precisam (genes do Genoma Corporativo) para a empresa que eles almejam no futuro. Um curso de Mestrado, Doutorado, MBA, Especialização é condição necessária, mas não é suficiente para garantir o desempenho profissional. Todo o material didático, após um curso, garantia “combustível” de conhecimento por 15 anos; depois valia por 10 anos; depois por 5 anos – hoje tenho dúvidas se vale por tanto tempo assim (cinco anos)! Se, ao final de qualquer curso, um profissional não fizer uma revisão – melhor ainda, revisão periódica de todo o material usado no treinamento nos cursos – todo o conhecimento dissipar-se-á em 5 anos. Com esse novo mundo (de “O Problema” na Primeira Parte que acabamos de discutir) deu-se uma coisa interessante: começamos a observar que o mundo dos “inteligentes”, dos “intelectualmente bem nascidos”, havia passado: os esforçados que estavam lutando “por um lugar ao sol” começaram a ter muita vez e voz no meio profissional (faça você um teste e veja na sua empresa se há profissionais esforçados em cargos de direção).

 
Design by Wordpress Theme | Bloggerized by Free Blogger Templates | free samples without surveys