Associação de Cooperativas I – O que Pensam Afinal de Contas os Dirigentes Cooperativistas Acerca das Oportunidades e Dificuldades Dessas Associações



Lead: Esse tema é recorrente. Está na fronteira das preocupações dos dirigentes cooperativistas. Se por um lado os dirigentes acreditam que há vantagens no associativismo cooperativista, por outro, há restrições de caráter pessoal e dificuldades nos corpos dirigentes (funcionários das cooperativas) para implantar essas ações. O fato é que esse tema deve ser atacado, na opinião dos próprios dirigentes, de forma rigorosa e vigorosa no futuro próximo, pois frequenta com assiduidade as preocupações dos dirigentes cooperativistas que confrontam permanentemente a situação de eventual auto-liquidação de suas organizações se não houver escala de operação e soma de competências empresariais.



Sumário Executivo

Uma pesquisa foi conduzida com cerca de 50 dirigentes cooperativistas  para tratar deste tema e colher depoimentos acerca de dificuldades e oportunidades de associação de cooperativas. As perguntas eram simples:
1ª. PERGUNTA:
Como podemos iniciar um processo seguro de nos associarmos, cooperativas do agronegócio, para enfrentar as incertezas do mercado no futuro, para antecipar problemas e questões no futuro e, sobretudo, para descobrirmos e viabilizarmos novos negócios cooperativos em grande escala? Quais os paradigmas que deveremos atualizar? Quais os novos paradigmas a serem adotados, com vistas ao futuro?
2ª PERGUNTA:
Usando os conhecimentos sobre a formação de formas de associação de negócios de empresas privadas, Agriclusters e Arranjos Produtivos Locais, responda: Quais seriam os ingredientes essenciais de um NOVO MODELO DE QUALIDADE DE RELACIONAMENTO, entre cooperativas, entre dirigentes, entre os responsáveis pela gestão das cooperativas, no dia-a-dia, dentro de um “novo” Agricluster na sua Região, ou um Complexo Agroindustrial de grande poder competitivo?
3ª PERGUNTA
Quais os passos concretos que devemos adotar, na nossa comunidade de negócios cooperativos, para trabalharmos a formação de um grande Agricluster de cooperativas na Região? Como fazer com que todos contribuam positivamente para um novo modelo de negócios, com maior cooperação para competir à altura dos desafios no futuro?
Foi feita uma pesquisa com presidentes, diretores e funcionários de 8 cooperativas no Paraná. Os resultados impressionam devido ao grau de conhecimento das dificuldades das associações. Se há o conhecimento, por que não há iniciativas? Fizemos uma pesquisa, então, sobre quais seriam os passos concretos para associações.
Os resultados da pesquisa vão a fundo nas questões de resistência por parte dos produtores cooperativados, do quadro de funcionários, dos dirigentes de segundo e de primeiro escalões, com relação a essa nova postura indispensável à sobrevivência das cooperativas. A discussão impressiona pelo nível de conhecimento que se tem das duas faces da moeda: as dificuldades e as facilidade e vantagens que podem ocorrer com uma associação de cooperativas. O texto a seguir é uma transcrição das gravações feitas nas entrevistas.

 
Design by Wordpress Theme | Bloggerized by Free Blogger Templates | free samples without surveys